terça-feira, 13 de agosto de 2019

pedala, pai...

Era um dia cinzento de vento fininho. Gotículas geladas se desprendiam do mar e umedeciam toda a orla.
Ele, de cócoras, olhando-a profundamente nos olhos:
- Pega impulso e vai. Mais do que pedalar o importante é a atitude, seja firme e corajosa. Estou aqui, não tenha medo, você vai conseguir.
E ela saiu pedalando. Sorrindo e olhando para frente. Como se fosse fácil.
A fé é tão linda e tão misteriosa.
Foi assim que Bebela, em apenas 2 minutos, aprendeu a andar de bicicleta.

O tempo correu e nem sei bem se eu vi.
Só o que sei é que os últimos dias têm tido um ritmo estranho, tudo parece mais desconectado e mais lento. Mudaram as urgências.
Não existem respostas para tantas perguntas. E mesmo que isso não seja nenhuma novidade para nós, ainda assim me assusto.
E penso em como acontecimentos inesperados nos põem diante de imensas janelas pelas quais podemos ver, mais uma vez, as paisagens de todos os lugares em que já estivemos. Estão lá todas as crianças que já fomos, os quintais da nossa infância, o velho cachorro, os cheiros, as músicas, as histórias, os encontros, os encantos, os almoços de domingo, os vazios, os portões, todos lá, enfileirados, todos. Assim como a bicicleta na praia.

Sentada ali, ao lado dele, olhando profundamente em seus olhos, eu disse:
- Pega impulso, pai. Mais do que tentar o importante é a atitude, seja firme e corajoso. Estou aqui, não tenha medo, você vai conseguir.
Mas, bem lá no fundinho, sei que com gente grande as armadilhas podem ser maiores.
Então fecho os olhos e rezo baixinho para que ele também pedale.
Em 2 minutos.

Solange Maia

2 comentários:

  1. O mais importante é a atitude.

    Que lição apredemos e depois usamos até o fim...

    Beijos.

    Deliciosa Ilusão

    ResponderExcluir
  2. Achei este conteúdo interessante e compartilhei em meu facebook.
    Vida cap ao vivo

    ResponderExcluir