quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A MENINA LIMPA

A infância dela foi quase toda naquele quintal.
Seus sonhos eram tão impecavelmente brancos quanto a fileira de roupas estendidas no varal.
Não lhe faltavam provisões.
Sapatos de verniz e vestido de pano caiado, sempre.
Tudo tão limpo...
Mas faltava alguma coisa.

Cheirava a sabão de côco e talco.
De tão alva pele quase não se via o contorno da boca, então nunca se soube se a menina sorria.
De tão branca, e como se para mantê-la assim, nunca lhe deram um abraço.
Cresceu tão limpinha.

Mas um dia acordou com uma enorme begônia brotando secretamente em seus pensamentos,
E antes mesmo de virar mulher já andava de pés descalços, olhar esguio e corpo suado.
Faltou-lhe tanta vida, que a quem quisesse ela se dava.
E assim respirava.
Um ar sujo, mas seu.

31 comentários:

  1. Lindo texto Sol! Tão real que é quase palpável. É bom quando se descobre a vida. Sempre. Independente de com que idade isso acontece.

    Beijos no core!
    Layla Barlavento
    http://culpadowalter.blogspot.com

    Ah! O Walter está de cara nova. Passa lá e me diz o que achou!

    ResponderExcluir
  2. As vezes lhe faltou o lado sujo da vida, aquele que nos prova o que somos e bem como podemos evoluir...

    Bom texto, apesar de ter um dúvida de qual geração você está falando (se é você, ou outro alguém)...

    Hua, kkk, ha, ha, as vezes é bom deixar um semi mistério.

    Fique com Deus, menina Solange Maia.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. que horror, n é pra ser assim. mas gostei dos termos e da maneira como contou.

    bjoss...

    ResponderExcluir
  4. E a menina precisava se sujar, se emporcar e depois, sim, ter motivos para se lavar, se purificar.

    Lindo texto.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. ...que delicia de texto...

    assim a vida é...experimentar andar descalça, sentir esse lado da vida...nem tudo na vida é sempre alvo,claro,limpo...

    beijos!

    ResponderExcluir
  6. O texto que mais gostei no seu blog - até agora.
    Realmente lindo.
    PArabéns!

    ResponderExcluir
  7. As vezes demoramos um pouco para entender quem somos e pra que viemos... quando acordamos, a sensação é de liberdade...

    Bjka ótimo texto (pra variar rs)

    ResponderExcluir
  8. esta viagem rumo a eterna busca de nossa essência e do sentido da vida.
    um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Acordou da levesa do ser.
    Pesada é a realidade, mas...
    Sonhar é preciso?
    O real é seco.
    Sim, sonhar é preciso. Torna os dias mais leves.

    Bjos menina.

    ResponderExcluir
  10. Passeando pela bog-esfera achei seu blog e de cara me agradei com tudo por aqui!!
    Parabéns...
    Texto que me tocou!!
    As vezes se é criada de uma forma que nos polpam qnd crianças de se ver o mundo realemente como se é...
    E quando crescemos nos deparamos com situações que nao sabemos lidar..

    Parabéns por seu blog!!

    bjsss

    ResponderExcluir
  11. "Faltou-lhe tanta vida,
    que a quem quisesse ela se dava.
    E assim respirava.
    Um ar sujo, mas seu."

    Fantástico, Solange!
    O texto todo lindo
    e com um desfecho surpreendente!

    Um beijo,
    doce de lira

    ResponderExcluir
  12. lindo Solange... que post lindo menina...

    obrigada

    bj em seu coração

    ResponderExcluir
  13. Sujo ou limpo...
    Só um conceito de ser
    Ser o tempo todo, todo o ser,
    É o cúmulo do não-ser.
    Tácito

    ResponderExcluir
  14. Poxa,Solange. Você transcendeu qualquer inspiração. Que transição linda entre a menina e a mulher, independente de que forma ela se deu Parabéns,mesmo.Beijos

    ResponderExcluir
  15. Lindo texto,Temos mesmo que nos sujar pelas areias dos jardins da vida, aprender, encarar a vida...beijos,chica(De que adianta estar "limpinha" e não ter aproveitado os jardins???)

    ResponderExcluir
  16. as vezes é preciso sujar, surrar, pra depois limpar. é preciso vida!

    beijocas...

    ResponderExcluir
  17. Venho aqui dar uma espiadinha e agradecer a sua visita no meu blog. Obrigada também por suas palavras carinhosas para com o meu trabalho.
    Quando quiser ouvir uma história é só clicar em FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
    Tenha um BOM DIA.
    Que a PAZ e o BEM esteja sempre com você.
    Saudações Florestais !

    ResponderExcluir
  18. Pobre menina limpa...

    Sabe, minha mana, que "as sujeirinhas" desta minha vida é que me fizeram ser a grande mulher que sou...

    Então, prefiro ter de "lavar roupa" de vez em quando...

    A VIDA está aí, PARA SER VIVIDA...e SER VIVIDA...é ser TOCADA, BATIDA, AMARROTADA, PASSADA, REPASSADA....e assim por diante!!!

    Beijos, sua linda!

    Biba

    ResponderExcluir
  19. O importante é ser você! É se descobrir.

    Lindíssimo texto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Texto maravilhoso!!! Mtooo obrigada pelo comentário no meu "DESABAFO"! Adorei mesmo, fiquei me achando (espetáculo)!!! Hehehe

    Bjsss

    ResponderExcluir
  21. Belo forma metafórica de contar o percurso da descoberta da vida, do seu verdadeiro “EU”, independentemente da sua faceta limpa ou mais suja...

    Como sempre, a tua escrita é adorável! Só lamento, não poder visitar-te mais vezes...

    Bjs amiga deste lado do atlântico,
    CR/de

    ResponderExcluir
  22. De uma serenidade incomum...
    ^^
    me veio na cabeça uma coisa, e quando se cresce mas não se abandona a ingenuidade e leveza de quando se era crinça?!


    Lindoooo

    ResponderExcluir
  23. Tão frágil ela, e depois da sujeira vem a clareza.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Lindo texto!
    Mas um pouquinho de sujo, ía fazer bem para ela.
    Um contato para purificar.
    Beijinhos no seu coração!

    ResponderExcluir
  25. Fiquei tentanto imaginar de que sujeira o poema sugere. "E antes mesmo de virar mulher... a quem quisesse ela se dava..."

    A limpeza seria proteção demais que sujou a menina?

    P.S
    Estou indicando seu blog na seção "Eu fui indicado" do vida blogueira http://vidablogueira.blogspot.com/

    Bjinhos em ti
    Mahria

    ResponderExcluir
  26. Solange

    Transpor nossos quintais vale a pena!
    Que as begônias sempre floresçam em nós...

    AMEEEEEEEI o teu texto, belíssimas metáforas poéticas!!!!


    Bom domingo, Amiga!
    Bjão,
    Wania

    ResponderExcluir
  27. Um dia o filho se desgarra dos pais e vai de encontro ao mundo, e se ele nada conhecer, pior será.
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Olá Solange!!
    Parabéns pelo blog e pelos textos, eles são de uma qualidade excelente!!
    O mundo realmente precisa de palavras assim...
    de pessoas assim, intensas!! Acaba de ganhar mais uma leitora e tb seguidora.

    Bjs*

    Carla Araújo
    http://carlaraujo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  29. Nunca aprendeu a saltar o muro ou então eram muito altos e não tinha contacto com os vizinhos. As begónias eram tão grandes que a menina não apanhava sol. Nunca faltou ao respeito a ninguém.
    Uma menina igual a tantas meninas que respiram e não sorriem.
    batidasfotograficas.blogspot.com

    ResponderExcluir