domingo, 1 de fevereiro de 2009

É esse fogo que os torna iguais...

Acredito que deva existir algum tipo de código que identifica os amantes da vida, talvez um pequeno sinal, um gesto, um jeito de respirar... sei lá.
O que sei é que ali, a despeito de toda uma multidão, e quando seus olhos se cruzam, mesmo que só por um segundo, eles se sabem.

Sim... há algo em seus olhos, como fosse um pequeno incêndio, que teima, teima, e não se apaga nunca.
É esse fogo que os torna iguais.

Para os amantes da vida há também dias tristonhos, há a inquietude, algumas decepções, o medo... mas mesmo em dias assim a prioridade, decretada e absoluta, é para a vida, e por assim ser, ela se faz tão maior que esses outros sentimentos todos...

Por que amantes da vida, quando acordam pela manhã, já estão completamente entregues.

13 comentários:

  1. Lindo!
    Eu adoro, obrigada pela visita.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Solange.

    Amar a vida intensamente e reconhecer que é nas pequenas coisas que encontramos a verdadeira felicidade.
    Lindo! :-)

    ********

    Não escrevi nenhum livro, não!! É uma amiga que fala que eu tinha que escrever um. Brincadeira dela! Mas... quem sabe um dia... o mundo dá tantas voltas... :-)

    ************

    MARAVILHOSA SEMANA PARA VOCÊ!!!


    ♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥

    ResponderExcluir
  3. Elas tem uma luz diferente...um brilho especial!

    Gostei daqui também...voltarei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. realmente viver é uma dádiva! obrigado pela visita!
    abç!

    ResponderExcluir
  5. Esse cruzar olhares é totalmente surreal. Parece que o mundo acaba, e que só os dois existem. Realmente, quando há química... eles se sabem.
    Muito bom seu blog. Beijos, Márcia

    ResponderExcluir
  6. Outro dia escrevi um coment no post do vento no rosto (vinte anos no coração), mas não consegui postar. Hoje coloquei. Dá uma olhadinha. Adorei!
    Márcia

    ResponderExcluir
  7. A terra adormece no nevoeiro
    Tenho a pressa do vento
    Um coração errante procura
    A doçura de terno momento

    Frágil e palpitante luz
    A beleza voa com a manhã
    O mar solta na terra ternos murmúrios
    Perde-se na espuma toda a palavra vã


    Dança comigo ao som da Lira


    Boa semana


    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  8. Sim, existe um código imperseptível aos cinco sentidos, grosseiros e materiais.
    Seja no gestual, no respirar ou até mesmo na chama vista em um simples olhar...tudo se origina no laço mais puro e imutável das almas.
    Suas palavras são categoricamente desvendadoras. Parecem mostrar o óbvio, contudo mostram a espiral dessa profuda análise do imaterial que é viver.
    Sou seguidora.
    Beijos e uma ótima semana.
    ;-)

    ResponderExcluir
  9. Eita amor...

    Ele faz a gente descobri cada coisa, mesmo que não sabiamos concientemente.

    Fique com Deus, menina Solange.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. bem, não há dúvida que estou diante de mais uma amante da vida! que bom!

    e a gente vai contando e nos identificando e o mundo vai cada vez mais ficando iluminado...

    lindíssimo texto! agora vc precisa conhecer o...

    www.lentasrapidasluzes.blogspot.com

    bjos, Luz e poesia sempre!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Comentário novo aqui ^^!!

    Leia! rsrsrsr!!!

    Tem uma coisa que identifica as palavras,
    eu chamo de palavras grandes e palavras pequenas, e gosto muito das duas, mas gosto de quem consegue
    escrever coisas grandes com pequenas palavras,
    e esse é um adjetivo
    que você merece!
    Nas palavras mais simples,
    leio seus poemas como pequenos
    fragmentos de uma alma pura,
    um sentimento contido,
    entendo melhor de palavras pequenas,
    em colossais, estupênduas,
    magnificas, gigantescas, belíssimas poesias!

    Que a sua caneta sangre seus sentimentos,
    que ela goteje e seja feliz,
    morrendo por suas palavras!

    Beijos!! Fui-me!

    ResponderExcluir