domingo, 15 de março de 2009

OUVIDOS SÓ PARA QUEM QUER OUVIR

Três jovens sobem as escadarias do metrô, irreverentes, usando jeans e camisetas coloridas, dreadlock nos cabelos, carregando lindas caixas de violino. Andam na direção da Rua Galvão Bueno, em pleno bairro da Liberdade, numa tarde quente de verão.
Param.
Abrem as caixas, tiram os instrumentos.
De repente uma nota.
Duas.
Uma pausa.
E o Bolero de Ravel.
Assim, no asfalto seco, começam a tocar divinamente para as pessoas que passam apressadas, ocupadas demais para prestar atenção àquele espetáculo.
Não pude evitar : parei imediatamente.
Com minha filha no colo fiquei ali, uns quinze minutos, ilhada naquele universo particular, sorvendo cada nota, cada som.

Aquela cena me fez lembrar da história de Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, que certa vez foi ao metrô, por iniciativa do jornal The Washington Post, tocar anonimamente. Quase ninguém o notou. No entanto, poucos dias antes, as pessoas haviam pago mais de mil dólares por ingresso para ver aquele mesmo homem tocando num concerto no Symphony Hall em Boston. O violino que ele tocava no metrô era um raríssimo Stradivarius, avaliado em mais de 3 milhões de dólares.
.
O que será que está acontecendo com a gente ?

Às vezes os maiores tesouros da nossa vida surgem assim, inesperadamente, como os três garotos vertendo suas almas hoje à tarde...

(estou com a foto dos três garotos no meu celular... assim que baixar coloco-a aqui)

28 comentários:

  1. solange, essas preciosas cenas invisíveis me tomam de perplexidade. tu soubeste do professor que fez experiência de se passar por gari durante um tempo, na própria universidade onde leciona e ficou invisível? ninguém o reconhecia. o meu olhar é tomado por cenas inusitadas, eu também pararia e escutaria o bolero assim tocado, memso com a filha no colo! bom restinho de domingo! bjs

    ResponderExcluir
  2. Realmente temos muitos tesouros desses por ai. O lance é pararmos de olhar apenas para nós mesmos e começar a olhar ao redor.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Seus comentários, por exemplo, chegaram como tesouros no final da tarde...
    OBRIGADA!
    Se quiser, mande um e-mail para o meu e-mail, para que eu o tenha em minha lista.
    E continue aparecendo.
    Eu venho quase todo dia aqui, onde só há tesouros...da maior qualidade!
    BJS!

    ResponderExcluir
  4. Solange... interessante esta história!

    É verdade, as pessoas atribuladas pelo trabalho deixam de viver as maravilhas da vida, deixam de participar, de ouvir, de ligar para coisas essenciais que passam ser postas em 2º plano.

    Obrigada pela presença no Café.
    Está linkada em meu blog para eu sempre acompanhar... e tbm já sou sua seguidora.

    Saudações

    ResponderExcluir
  5. Oi Solange, que delícia de blogada para fechar meu domingo!
    Obrigada por isso!

    Grande beijo e uma ótima semana, querida!

    ResponderExcluir
  6. Querida Solange...
    cada vez mais as pessoas só d~´ao valor ao que pagam e que é bem caro...se for barato é porque nem presta...ninguém quer...não tem valor...
    sei do que falo e imodestia à parte já fui elogiada e muito por excelentes artistas sobre as minhas telas a óleo mas já coloquei em exposições e diziam:ah ta giro...sem mais...
    Tinha la outro artista que já tem algum peso em exposições e as pessoas diziam que nem entendiam o que era aquilo e diziam ah mas vejam já fez exposição na EUROPA etc...deve ser mesmo bom, até pinta muito bem e humm que cores lindas...
    Um dia vou pedir a um amigo meu que assine o seu nome numa tela minha por brincadeira eheheh a ver o que dizem...vendo as minhas de 120x90 ou maiores por menos de 700euros bem trabalhadas e ele vende uma de 30x30 com cores e abstracta por 1700 euros.
    O nome pesa se o associarmos à obra...não em todos os casos mas em muitos...
    Por isso não admira que na musica e seja em que talento for as pessoas que desconheçam o autor...nem liguem...c'est la vie ma cherie!
    Beijinhos para ti...

    ResponderExcluir
  7. Com a gente não.
    Com os outros, o que está acontecendo é a neura chamada pró status.
    Vc não tem isso nem eu nem alguns amigos.
    Mas conheço quem tem mas , cada um usa o coração como quer.
    Que cena gostosa deve ter sido e que exemplo vc deu a sua filhinha mesmo pequenina.
    Bonito isso.

    ResponderExcluir
  8. São nas pequenas coisas que residem as grandes emoções. O que está acontecendo conosco. Estamos cada vez mais insensíveis! Bjus.

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Amiga, se fosse em Recife, pararíamos eu e meu filho. Com certeza. Porque o que mais adoramos é ouvir música, de todos os gêneros. Ele adora sons, e herdou isso do pai, que é um excelente guitarrista. Pra você entender, por vezes paramos nós dois, na sala, e ligamos o som, só pra ouvir o barulho que a rádio estás fazendo, mesmo que não seja necessariamente música...
    Obrigada pelo excelente final de domingo!
    Beijos
    Layla

    http://www.culpadowalter.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. As pessoas ultimamente (ou há muito tempo) tem se esquecido das coisas que realmente são bonitas, como essa história que você contou.
    É difícil acreditar que o homem seja tão insensível.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  11. Eu vi o Joshua Bell tocando no metrô, e as pessoas passando sem olhar... (não me lembro onde - até que uma mulher parou, e o reconheceu, e ficou extasiada). Impressionante, né, a falta de sensibilidade que reina no mundo. Acho que é a necessidade de cumprir metas e horários que acaba matando a beleza da vida.
    Beijos pra vc!
    Márcia

    ResponderExcluir
  12. Oi querida! Muito obrigada pela visita. Vou te linkar também assim voltarei sempre aqui.

    E que lindo esse seu relato. Jamais imaginaria ver uma cena assim em plena cidade de São Paulo! Mas me lembro exatamente da última vez em que ouvi o Bolero de Ravel. Foi na Praia do Jacaré em João Pessoa, todas as tardes ao pôr-do-sol um violinista toca essa música enquanto o sol vai se pondo. É um espetáculo pros olhos e pros ouvidos. Lindíssimo!

    Será que esses rapazes vão sempre lá? Faria questão de ir lá presenciar.

    Beijão

    ResponderExcluir
  13. Tens razão, um bolero de ravel inesperado, em plena rua, surpreende e emociona, gestos simples que trazem muita emoção.
    Um abraço e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  14. Oi querida, entrei rapidinho apenas pra dizer que tem um presentinho no Longevidade pra você...
    beijinho

    ResponderExcluir
  15. É..., nossa vida tem tantos compromissos que, às vezes, não percebemos as coisas que brilham ao nosso redor.

    Ficamos felizes por você ter gostado do "Dicas...". As histórias com temática feminina continuam durante o mês de março.
    Gostamos muito do "Eucaliptos" e te linkamos lá!
    Apareça!
    Braços!
    Toninho Moura
    Capitão Ócio

    ResponderExcluir
  16. Olá! Invadindo aqui seu espaço pra dizer que estou começando a ler e adorando, pretendo ler tudo!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Pagar mil dólares para ver um cara tocar violino é que é demência.
    Um violino valer 3 milhões de dólares é que é coisa de idiota.

    CONVENÇÃO: nisto repousam os valores humanos que variam.

    VALORES ABSOLUTOS: necessidades orgânicas e paz com Deus.

    ResponderExcluir
  18. Recebi o selo “Vale a pena acompanhar este Blog” e indiquei o seu blog também para recebê-lo. Dá uma passada no meu blog e veja.

    http://paulo-k.blogspot.com/2009/03/vale-pena-acompanhar-este-blog.html

    ResponderExcluir
  19. Ai...lindo lindo...

    Ja presenciei algo parecido...fiquei num canto olhando e chorei (sou chorona)...rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Caramba!!

    Eu ia escrever sobre isso... Risos.

    Tenho esta matéria (e que matéria...) na revista piauí. Está perfeita!

    Nota 10 para o seu post.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Boa pergunta: O que será que está acontecendo com a gente ? Somos incapazes de reconhecer uma boa arte, coma desculpa de falta de tempo.

    ResponderExcluir
  22. Olá:
    Sabe leio muito. Muitos blogs, livros, receitas, propagandas, Twitter, Frendfeeds etc. Mas quando se trata de qualquer texto ligado à musica. Inclusive MTV, jamais esqueço. Ele pode até ser tansformado. Não importa. Há sempre um fiapo dele por aí. Aguçando nossos ouvidos e fazendo com que nos tranformemos em algo melhor. Porque não vamos copiar. Vamos tranformar o que estamos lendo em ouvindo, parte de nós.
    Nossa! Fiquei inpirada.
    Beijos,
    Anny.

    ResponderExcluir
  23. É impressionante como pequenas coisas, pequenos acontecimentos como esses, nos remetem a tempos diferentes dos tempos tão difíceis como os que temos vivido!

    Parabéns pela referência!
    beijos!

    ResponderExcluir
  24. .....oooO.............
    ....(....)....Oooo....
    .....)../. ...(....)..
    .....(_/.......)../...
    .............. (_/....
    ... PASSEI POR .......
    .......... AQUI ......
    ......................
    Pra dizer que suas postagens estão a cada dia melhores!!!
    Bjus
    Janini

    ResponderExcluir
  25. Olá Solange!
    Eu AMO o Bolero de Ravel.
    Que maravilha a atitude destes jovens! Temos poucos hoje em dia que valorizam as músicas de verdade! É uma pena que muitos tenham ouvidos e não ouçam!

    Ah! quanto ao post de fazer lista pra morar sozinha... Não vou me mudar agora não, é que eu estava pensando em começar a juntar o $$ pra depois comprar as coisas... comecei a pensar nas coisas, no tanto que vou precisar, quase me desespero! rs

    Mas quando eu for me mudar publico a lista! hehehe

    beijos

    ResponderExcluir
  26. Eles simplesmente querem algo com fama (mesmo que seja ruim), mas descartam algo que seja "barato" (entretanto bom).

    Fique com Deus, menina Solange.
    Um abraço.

    ResponderExcluir