quinta-feira, 7 de maio de 2009

O que salvar ?

Ano passado, pouco antes de chegar em casa, o zelador do prédio onde moro ligou para meu celular avisando que o edifício estava com um princípio de incêndio, e que se eu chegasse rapidamente ainda teria tempo para retirar coisas importantes.

Em menos de 5 minutos estava lá.
Subi pelas escadas, entrei em casa, uma fumaça preta no ar. Olhei bem ao redor.
- O que salvar ?

O quê, naquele lugar, era realmente importante ? Meus móveis, quadros, objetos de arte, roupas, computadores, documentos... ?

Impulsionada pelo calor, que começava a incomodar, resolvi ir direto ao essencial :
Um álbum de fotografias.
Meu livro de Crônicas, ainda inacabado.
Uma gárgula de 40cm que comprei em Paris.

Só.
Esses eram meus tesouros. Desci apressada, entrei no carro e fui pegar minha filha na escola. Fomos tomar um milk-shake gelado, de chocolate.

Sinto-me livre ao perceber que cada vez mais, preciso de menos coisas.

43 comentários:

  1. Ah que lindo!
    treinar desapego,e perceber que coisas são apenas COISAS.

    beijos

    Denise

    ResponderExcluir
  2. é isso Solange, esse desapego possibilita leveza e a capacidade de transitar entre dimensôes diversas da vida. Afinal de contas, precisamos estar leves para voar e arriscar se preciso for. bjs

    ResponderExcluir
  3. oieee
    to sumida por aqui
    :P
    mas não resisti
    vim te visitar
    ixiiii eu não faço ideia o que salvaria
    juro
    tem muita coisa no meu quarto que eu gostaria de salvar
    acho que eu gostaria de salvar meu quarto todinho..ali eh meu canto, meu tudo
    rs rs rs
    que bom q pra vc foi mais simples
    rs rs rs

    bjinhos docinhos
    docinho848@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Isso é bom, minha querida, saber-nos o que realmente interessa. Mas por outro lado, sinto que poderia me agarrar ha outras coisas tantas.
    Abraço perfumado

    ResponderExcluir
  5. Olha pra mim ia ser dificil, acho que levaria os discos, mas são tantos não caberiam entre as mãos. Gostei da parte do milk-shake gelado de chocolate... Acho que a unica que coisa que levamos são os sentimentos bons das pessoas, isso é o mais importante.

    ResponderExcluir
  6. O poema essencial de Robinson Crusoé eram as coisas salvas do naufrágio. O que salvamos do nosso naufrágio ou incêndio é o nosso poema essencial. A nossa iluminação. Precisamos de muito pouco: a nossa tábua de salvação é o nosso poema. O mais é supérfluo.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. é terrível quando tem que se fazer uma escolha assim, sem tempo! A vida tem mais valor do que as coisas da vida! Que é que andamos a escolher?


    Um abraço amigo!

    ResponderExcluir
  8. Esse desapego é fruto de um longo aprendizado!Lindo!beijos,chica

    ResponderExcluir
  9. Poético. Mas, em caso de incêndio, salve os documentos!

    ResponderExcluir
  10. Que bom conseguir se desprender do material assim!

    Eu não sei se teria toda essa calma!

    Bjaum

    ResponderExcluir
  11. Fotos... lembranças que valem a pena guardar...
    E nossa imaginação numa cronica não acabada.
    Escolhas sensatas.

    ResponderExcluir
  12. Eu não sei se teria este seu desapego porque eu duvido muito que conseguiria comprar novamente todos os bens materiais perdidos, mas...., se meus filhos estivessem fora de perigo, mais nada importaria realmente. bjs

    ResponderExcluir
  13. Espero viver o suficiente para chegar a esse nível.
    Parabéns! Sinta-se orgulhosa
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Eu sou completamente desapegada e se me dissessem isso, acho que também só buscaria minhas fotos e minhas poesias.
    Bjo
    Bjo

    ResponderExcluir
  15. Eu pegaria meus dois gatos e mais nada, o resto é substituível.

    ResponderExcluir
  16. Eu acho q nem subiria...
    Beijinhos
    Marcia

    ResponderExcluir
  17. Quanto mais desapegados, mais perto estamos da felicidade. Isso é sinal que você se preocupa-se apenas com essêncial. Que bom isso! Bjus.

    http://contesta-acao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Pessoas desapegadas a matéria está cada vez mais difícil de se encontrar. Cheguei aqui através do blog do Daniel Moraes, e gostei muito de seu espaço. Até mais.

    http://devaneiosdeeuclides.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. e além disso mostra-se desprendida do mundo material...
    Faz tempo que não visita o meu blog né Solange. Sinto sua falta.
    Bj!

    ResponderExcluir
  20. Eu pegaria um extintor de incendio, ligaria pros bombeiros e mandava embora o zelador do prédio...rs
    Mas, se não houvesse ninguém trancado dentro do apartamento para salvá-los, não me vem nada na cabeça em momento que eu pegaria...talvez apenas um álbum ou dois de quadrinhos que gosto..rs

    Besos

    ResponderExcluir
  21. Menina, que sensacional. É por isso que as pessoas sofrem,por apego excessivo a coisas materisis e dinheiro. Eu já fui quase um "pregador"( rs rs) tentando convencer as pessoas a se desprenderem das coisas materiais. Claro que parei,pois ficaria um chato.Mas eu, comigo memso não mudei e procuro cada vez mais estar ileso,imune,isento de tudo isso.Evidente que suas fotografias,seu livro de crônicas são muito mais que objetos,são tesouros.Parabéns.Gosto muuito de seus escritos.Bom final de semana

    ResponderExcluir
  22. Eu preciso dos seus recados gentis e reconfortantes!... Não me prive deles, please!...
    OBRIGADA!
    BJS!

    ResponderExcluir
  23. Nossa! Que texto tão pequeno mas tão cheio de significado!!!
    Eu sinceramente me sentiria absolutamente angustiada se algo assim ocorresse comigo. Afinal, sou advogada e confesso que acabo pensando nas consequências, das consequências, das consequências....a cada decisão que preciso tomar.
    Mas seu texto foi um sopro de leveza para mim.
    Bom final de semana

    ResponderExcluir
  24. Ei, Solange! Realmente.. o desapego é uma de nossas maiores riquezas.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  25. Obrigado pela visita feita à minha casa. Também gostei do seu espaço, tanto que já lhe adicionei.Um abraço e até mais.

    ResponderExcluir
  26. Geralmente descobrimos a importância das coisas simples, quando nos vemos em situações extremas. Acaso?! Abraços.

    ResponderExcluir
  27. Adoro ler seus posts,as vezes venho aqui.E tbm ñ me apego a coisas matériais,e sim,a sentimentos,e pessoas a quem eu amo e tenho admiração.Descobrir as coisas simples da vida é mto mais importante,é o que me dá mais prazer de viver.

    Seu texto é lindo.Parabéns!

    ResponderExcluir
  28. Confesso! Tenho enorme apego aos meus livros, mesmo sendo eles substituíveis. Mas parabenizo você, muito leve o texto, mesmo em se tratando de um assunto tão profundo.
    beijo querida.

    ResponderExcluir
  29. Para a sua felicidade...
    Quanto menos precisamos, mais adquirimos prá nós em simplicidade e simplicidade é um luxo!

    ResponderExcluir
  30. "Um homem é rico, na proporção do número de coisas das quais pode prescindir" (Henry David Thoreau).

    ResponderExcluir
  31. Ai! que inveja! e saber q ainda sou preso a tantas coisas materiais!

    ResponderExcluir
  32. Realmente a nossa Alma é o mais importante, e ela está ligada em pequenas coisas...

    Bjokas =*

    Kariny

    ResponderExcluir
  33. Chamou-me a atenção um seu comentário, noutro blog. Por isso passei por aqui e vou ficar seu seguidor...

    Uma maneira de conquistar a felicidade é desprezando o que é acessório. Quem não dá valor à vida que tem, talvez venha a queixar-se do pouco que viveu...

    Beijo.
    António

    ResponderExcluir
  34. Considerando que a máquina de costura Singer que herdei da minha avó (decora a minha sala, hoje) é impossível de carregar, acho que só me preocuparia em levar os documentos (um porre para tirar de novo) e uma Calimba que comprei na Suiça e tem um som celestial ...

    ResponderExcluir
  35. Adoraria ser assim com pessoas.
    Fazem mais mal do qe objetos muitas vezes.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  36. Solange
    Tenho tentado cada vez mais praticar o desapego. É libertador!
    Mas espero que sua casa não tenha pegado fogo! =)
    Um sorriso e um beijo

    ResponderExcluir
  37. 'Sinto-me livre ao perceber que cada vez mais, preciso de menos coisas. '
    Adorei :)
    Baci!

    ResponderExcluir
  38. Nessas horas que percebemos como gastamos em coisas inúteis e sobre o que realmente é importante.

    Adorei o blog, adorei o post sobre o Herbert Vianna.

    ResponderExcluir
  39. Ola querida Solange,
    que lindos seus textos e sim querida quanto mais nos distanciamos dos bens materiais mais chegamos perto da essência real.

    Beijinhos e vim para desejar um Feliz dia da Mãe que aqui já foi domingo passado mas aí é hoje.

    Tudo de bom ...com meu carinho fica esse desejo

    ResponderExcluir
  40. Isto é sério?!

    Isso aconteceu contigo?!

    Acho que dava um troço se pegasse fogo aqui em casa...

    Fique com Deus, menina Solange.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  41. Sempre penso nesse tipo de situação extrema, mas por mais q ensaiemos, nunca sabemos o que fazer na hora "h".
    Mas a conclusão a qual chegou é meu objetivo de vida!!
    Bj!

    ResponderExcluir
  42. Quando renunciamos estamos dando um passo para a liberdade de nossa alma.
    O que nos tolhe e nos prende é o apego por tantas coisas que as vezes nos fazem sofrer.

    Linda Reflexão!


    Abço!

    ResponderExcluir