terça-feira, 28 de julho de 2009

Poucas Certezas

Tenho tido poucas certezas.
É essa vida, que anda me surpreendendo bastante.
E estrangulando muitas das minhas verdades.
Agora, quando acho que sei, duvido.

É... talvez eu nunca saiba.
Ou, saiba apenas, assim com Jean Gabin, que nunca saberei.


27 comentários:

  1. Solange,
    Vir por aqui tem sido fonte de minha alegria.
    Se o que sabemos, é que nada sabemos, então que a gente viva o hoje desfrutando cada pequeno pedaço.
    Adoro sua poesia pensada.
    Muito.
    Deves ser extraodinária.
    Plínio Dualli

    ResponderExcluir
  2. Uma vez escrevi sobre isso tb:
    "Estou incerta
    dos meus sonhos
    tão certos".
    rs

    Gostei do texto! E do vídeo!
    Bj, e paz.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu comentário ..... e seu blog também ..... e engraçado essa coisa de envelhecer .... quanto mais o tempo passa mais incertezas eu tenho rsrsrs .... duvidas ... e como passa rapido .....
    Um beijo estalado .....

    ResponderExcluir
  4. Sei que nada sei...

    tb não acredito em certezas abasolutas a vida muda a cada instante e nós tb.

    beijos

    Denise

    ResponderExcluir
  5. Acho que quando sabemos demais é porque já não tem mais graça, ou importância... Aí falamos: "se eu soubesse o que sei hoje quando tinha 16 anos..."

    Beijos no core!
    Layla Barlavento
    http://culpadowalter.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Certeza a gnt só tem de q um dia vai morrer...

    e a graça é essa... jah imaginou saber de td antes que acontecesse??? nao haveriam as supresas, fossem elas felizes ou tristes...
    Logo os sentimentos acabariam por ser menos intensos... quase insípidos...

    ResponderExcluir
  7. Talvez seja a crítica pedindo descanso, dentro daquilo em que a vida pode nos oferecer, o de ir o de, de repente, voltar. Ou seja, com o passar do tempo, ficamos tão críticos que talvez seja melhor nos sentir, por alguns momentos, um pouco mais jovem e desprotegidos, contudo, mais leves...
    Beijos querida Solange,
    Ana Lúcia.

    ResponderExcluir
  8. O melhor da vida é justamente nao saber nada dela.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  9. Solange acredito que no dia em que tivermos certeza de tudo, não haverá mais sentido, busca, sonhos, nada. O que restará... As incertezas nos move e nos faz sonhar.
    Bj!
    Gostei do que vc publicou, me fez refletir.

    ResponderExcluir
  10. Às vezes ter poucas certezas pode contribuir para o novo. O arriscar que em muitas ocasiões dá espaço para o medo pode desvanecer com uma colheita boa.
    No fim, a gente não sabe de nada mesmo hehe.

    Um beijo! Bom texto! E excelente video que tu trouxestes!

    ResponderExcluir
  11. É na certeza que surgem as grandes dúvidas, a única certeza que temos nesta vida é a Morte.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Pequenas dúvidas também nos alimentam,sabia? É que às vezes a realidade é tão dura, ou talvez não dura, mas imcompatível com noosso coração.Então tem hora que é melhor a dúvida.Assim a gente vive como quer, faz o que quer e por aí vai. Mas gostei muito da indagação. beijos

    ResponderExcluir
  13. A dúvida, a incerteza, o questionamento talvez sejam os nossos móveis no caminho do conhecimento, do amadurecimento...ainda bem que não nos apegamos mais a verdades, talvez, por serem tão relativas, elas nos acomodam e, desconfio, acomodados, a vida perde a graça! Parabéns :)

    ResponderExcluir
  14. Sincronicidade.... veja a postagem que fiz ontem sem ter lido a tua ... bj

    ResponderExcluir
  15. É esse "não saber" que dá o tempero pra vida...Perfeito esse vídeo. Perfeita você.

    ResponderExcluir
  16. Lindo! Nossas certezas, muitas vezes , são até a "página 2",.rsrs...Nos surpreendemos!beijos,chica

    ResponderExcluir
  17. "E as certezas nos confudem pelo simples fato de serem certezas."

    Me sinto no mesmo barco que você e meu coração anda apertadinho. Mas passa; tudo passa né?

    ResponderExcluir
  18. Exatamente por isso tenho andado distante. Mas to voltando aos poucos... Bjus!

    ResponderExcluir
  19. Vim sentir o cheiro dos eucalíptos...rs

    Perfumado aqui...


    E não se espante nem se assuste...

    A gente nunca sabe nada...

    Sempre uma surpresa a cada dia...


    Beijos em seu coração!

    ResponderExcluir
  20. Que lindo Solange!
    A nossa vida é cheia de dúvidas e incertezas, e é através dela que rumamos em busca de novos caminhos que nos de alguma certeza.
    Beijos querida...

    ResponderExcluir
  21. "Amor não é pacto nem jura... é liberdade pura!"
    por Solange Maia

    "Certeza de nada, incerteza de tudo. Dúvida do dia, dúvida da noite. Certeza de acordar, certeza de amar, certeza de amar, certeza de amar... mas será que seremos amados??! hummm...
    O certo é que tudo é incerto e esta incerteza é o que nos traz o impulso de buscar. E o que buscar, aí vai de cada incerteza que cada um traz na mala que chamamos de experiência."
    por Nâna Pessoa

    ResponderExcluir
  22. SIMBIOSE deliciosamente singular,

    Já sei, porque digo não sei, descobri aqui com vc

    Bjuss!

    Aloha!!!
    Hod.

    ResponderExcluir
  23. Só para constar, o que na vida estrangula a tua verdade?

    Fique com Deus, menina Solange.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  24. Esse seu blog é o que me dado forças para seguir no meu dia a dia.
    Pessoas com seu dom de escrita deveriam ser mais vistas. Não só pela escrita em si, mas pela essência.
    Engraçado que quando passo por aqui, também lembro da minha infância cheirando a eucaliptos.

    ResponderExcluir
  25. Ahá! Achei o seu mesmo vídeo que você me mencionou.

    Esta música, sobretudo por ser assim falada num francês limpo, claro e cristalino, me lembra demais meu pai, e soa quase que natural para mim. Assim, a tradução que postei naquele meu blog (que nem atualizo muito), é como ela me toca e que faz mais sentido no meu entendimento. Só traduzi de propósito 60 para 50 porque ainda faltam uns 10 anos para meu relógio vital bater assim, bemora sei que esse tempo é nada e passar muito rápido. rsss

    Se são poucas, são boas!
    Eu fico aqui a imaginar quais seriam essas suas poucas e boas certezas...

    Abraço.

    ResponderExcluir