sexta-feira, 15 de junho de 2012

disso que não tem nome...


O homem dormindo no trem, fala comigo.
A mulher estendendo roupa no varal, fala comigo.
E também o menino que puxa a carrocinha carregada de papelão, e a mulher excessivamente maquiada, saindo do elevador. O cachorro abandonado pelo dono, na chuva, a criança vendo o balão que lhe escapou das mãos, e a menina tímida, afastada do grupo, no intervalo da escola, falam comigo. O velho procurando moedas nos bolsos, e o filho esperando o pai que ele sabe que não vem...
A muleta colorida, enfeitada com laços, fala comigo.

Sou feita disto.
Dessas coisas que me comovem.
Há tanto que as palavras não sabem traduzir, que às vezes acho que sou feita é desses silêncios tão absolutos, e tão cheios de significados...


(fotografia clicada ao acaso, no restaurante Fogo de Chão... 
dessas lindezas que tive a sorte de não deixar de registrar)

12 comentários:

  1. Adorei o texto e principalmente a foto. Bem original!!

    Que vc tenha um lindo fds!!

    Bjus!!!

    ResponderExcluir
  2. Dessas lindezas que tb falam, né Solange? Linda a foto realmente.

    Quanto ao post, uma alma sensível ouve gestos, o silêncio...a alma sensível ver..

    Tb tenho dessas manias, mania humana de ser!

    bjs

    Nana Andrade

    ResponderExcluir
  3. 18 de julho de 1888: Carta a Carl Fuchs
    Caro doutor,
    [...] Por apenas um instante ponha-se no lugar de algúem que teve o meu Zaratustra em sua alma! Uma vez que você tenha compreendido o esforço que me custou para obter o tipo de equilíbrio vis-à-vis [frente,cara a cara] à totalidade do fato do homem, você compreenderá também a cautela extrema com que agora abordo toda a comunicação humana. Gostaria de uma vez por todas de não mais saber muitas coisas, de nunca ouvir muitas coisas – à este custo talvez eu possa permanecer.
    Eu dei aos homens o livro mais profundo que eles já tiveram, meu Zaratustra: um livro que confere uma tal distinção que quem pode dizer “Eu entendi seis sentenças dele, isto é, vivi através delas” pertence à uma ordem superior de mortais. – Mas como alguém poderia reparar nisto! Pagar por isto! É quase corromper o caráter de alguém! O abismo se tornou muito profundo. Desde então, o que faço nada mais é que bufonarias para permanecer mestre de uma intolerável tensão e fragilidade.

    Isto aqui entre nós.
    O resto é silêncio.
    Seu amigo
    Nietzsche.

    O resto é silencio ... seu amigo Paulo

    ResponderExcluir
  4. ...você é muito linda,

    isso sim!!!

    sssmackssssss

    ResponderExcluir
  5. Sol mais linda... é por isso que vc falou comigo né? Certeza!!! Bj de bom fim de semana, florzinha! Na Bebela tbm.

    ResponderExcluir
  6. a melhor coisa é fazer o que te convêm.
    lindo final de semana
    bjs

    ResponderExcluir
  7. essas imagens que falam por si so. So vive no cinza por mais que o necessario quem nao quer amar…
    bjs Lu

    ResponderExcluir
  8. Vc é realmente sensacional, Solange. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  9. Sol

    Suas palavras(me)comovem!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. É tanto sentir que nem mesmo as palavras conseguem seguir... somente o coração.

    bju gde minha querida

    ResponderExcluir
  11. É preciso saber olhar o que nos rodeia... e sabermos ouvir o que nos dizem!
    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  12. SOLANGE,

    então, me faço um absoluto silêncio!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir